Setembro 2014 – Doenças inflamatórias intestinais: o que o endoscopista deve saber?

Data de realização: 01/09/2014

 

Doenças inflamatórias intestinais: o que o endoscopista deve saber?

      Doença Crohn e Retocolite Ulcerativa estão entre os principais grupos da enfermidade discutidos pelos especialistas

 

Com o objetivo de elucidar questões acerca das doenças inflamatórias intestinais para os médicos e residentes associados da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva de Minas Gerais (Sobed-MG), a instituição promoveu, no dia primeiro de setembro,  sua sétima reunião científica do ano de 2014. O palestrante convidado foi o Dr. Cláudio L. Hashimoto, assistente-doutor e coordenador médico do Centro de Diagnóstico em Gastroenterologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Durante a apresentação, o especialista tratou principalmente de dois dos principais grupos dessa enfermidade que são: a Doença de Crohn e a Retocolite Ulcerativa. De acordo com o Dr. Hashimoto, não se sabe exatamente as causas desse tipo de enfermidade, ou o motivo pelo qual algumas pessoas são portadoras e outras não. “O que sabemos é que a doença intestinal é encontrada no mundo todo, mais frequentemente na América do Norte e no Norte Europeu”, afirmou.

Segundo o especialista, as doenças infamatórias intestinais são diagnosticadas de forma mais frequente entre as idades de 15 a 25 e 45 a 55 anos. “Esses dados confirmam o impacto da existência dessa enfermidade na população mais economicamente ativa, ou seja, quando a pessoa é mais produtiva. Quando essa faixa da população adoece, há perda de dias trabalhados, além de gerar custos elevados nos tratamentos e poder ocasionar desfechos adversos no futuro”, revelou.

Para o Dr. Hashimoto, os endoscopistas têm uma responsabilidade muito grande em vários estágios dessas doenças. “Os profissionais devem acompanhar o paciente no momento da detecção, na confirmação do diagnóstico, na avaliação de atividade, no tratamento e nas complicações que possam existir”, reiterou o médico.

No decorrer da exposição, ele também apresentou conceitos com enfoques muito práticos, que, a seu ver, possuem a finalidade de obter melhora no atendimento dos pacientes em questão. “As doenças inflamatórias intestinais não são transmissíveis. O que ocorre são alterações das defesas do corpo nos portadores dessas doenças, desencadeando o processo inflamatório. A doença inflamatória intestinal pode ser controlada através de terapia nutricional, de medicação, de cirurgia ou de uma combinação desses tratamentos”, concluiu.

Telefone para informações: (31) 3247-1600
Local do evento: Pizzaria 68
Site do evento: clique aqui