Outubro 2014 – O uso da prótese no aparelho digestivo

Data de realização: 06/10/2014

O uso da prótese no aparelho digestivo

O especialista Dr. Wagner Colaiacovo de São Paulo foi o convidados para apresentar oficina sobre a temática aos associados da Sobed-MG

 

Em clima do Ocktoberfest, que acontece no mês de outubro, os associados da Sobed-MG e médicos residentes se reuniram na casa alemã Hauns Munchen para discutir sobre o uso da prótese no aparelho digestivo. Patrocinado pela Mediglobe, empresa germânica que tem como distribuidora em Belo Horizonte a AGIS, o encontro contou com a presença do médico Dr. Wagner Colaiacovo, de São Paulo, que trabalhou por muitos anos no conceituado Hospital de Câncer de Barretos e hoje é diretor do Centro de Endoscopia Avançada em Rio Preto.

De acordo com o especialista, existem cinco locais no aparelho digestivo onde a prótese pode ser colocada: esôfago, estômago, duodeno, via biliar e cólon. “É comum que a prótese seja colocada quando observamos a presença de tumores obstruídos do trato digestivo, lembrando que a escolha do tratamento depende do estágio do tumor e deve ser discutida com o paciente. A primeira opção, dependendo do caso, deve ser pela cirurgia”, afirmou.

Segundo o Dr. Wagner, o uso da prótese é mais comum em idosos, naqueles que já se encontram na faixa etária acima dos sessenta anos de idade. Ele também revelou que existe uma preocupação quanto ao câncer no colo retal. “Em 2009, em uma pesquisa feita, quando ainda trabalhava no Hospital do Câncer de Barretos, de 10.254 casos de câncer, 595 se encontravam no colo retal e 62 estavam obstruídos. Com o nosso trabalho, obtivemos de 90 a 100 por cento de sucesso na inserção das próteses e 95 por cento na obstrução, o que é muito positivo”, revelou.

Durante a apresentação, associados e residentes fizeram vários questionamentos e, em uma de suas respostas, o especialista revelou que já implantou mais de 120 próteses no esôfago, colocadas inclusive com invasão da traqueia, e nunca teve que retirar nenhuma delas por insuficiência. “O câncer no esôfago é uma doença no qual células malignas começam a desenvolver-se no revestimento interno do músculo e, dependendo de sua evolução, podem atingir suas outras camadas. Uma das opções para o tratamento do câncer no esôfago é a colocação da prótese, que vai impedir o estreitamento do esôfago. A colocação funciona como terapia paliativa para aliviar sintomas e melhorar a qualidade de vida. Entretanto, novamente, saliento que o tratamento depende tanto do estádio da doença quanto do diagnóstico. Na fase precoce da enfermidade, a cirurgia é curativa”, enfatizou.

Telefone para informações: (31) 3247-1600
Local do evento: HAUS MUNCHEN Rua Juiz de Fora, 1257 Santo Agostinho