Síndrome Intolerância

Artigo por Dra. Camila Marques Madureira em 05/09/2016

Residente: Dra. Camila Marques Madureira

Hospital: Hospital MaterDei

Preceptores: Dr. Luiz Claudio Miranda Rocha

CASO:

Paciente M.D.K, 57 anos, PO tardio de derivação gástrica por técnica de Capella ( ha 10 anos), evolui há 2 meses com vômitos pós alimentares e perda de peso. HPP: síndrome de Marfan, Descolamento de retina aos 9 anos, Carcinoma renal com ressecção em 2014, Obesidade e Ex-tabagista. Realizado EDA: estômago operado=derivação gástrica em Y de Roux com anel. Bolsa gástrica pequena com mucosa endoscopicamente normal. Anel cirúrgico com calibre diminuido sem dificultar a passagem do endoscópio. Anastomose bem constituída permitindo a fácil passagem do endoscópio. E TC de abdomen com contraste oral: alteraçoes pos gastroplastia redutora com anastomoses pervias e estomago excluso integro, notando-se hernia hiatal por deslizamento de segmento pré anel, o qual apresenta-se com espessamento acentuado da mucosa, estreitando a luz gastrica, porem sem impedir a passagem do contraste oral. Realizado dilatação com balão rigiflex 30 mm em bloco cirúrgico com uso de radioscopia. Foi introduzido fio guia de Safary por visão endoscopica e posteriormente o balão rigiflex. Verificado o posicionamento central do balão em topografia do anel através do contraste no interior do balão. Insuflado o balão até ruptura do anel por volta de 30 mm. Revisão endoscópica demonstra dilatação no local do anel com sangramento habitual. Paciente apresenta melhora sintomática completa.

Clique aqui para fazer download do caso.