Gastropexia para tratamento de volvo gástrico por lesão subepitelial

Artigo por Dra. Laura Miranda Kilimnik em 09/11/2015

Residente: Dra. Laura Miranda Kilimnik

Hospital: Felício Rocho – Unidade Avançada de Endoscopia Digestiva

Preceptores: Edivaldo Fraga Moreira, Paulo F.S. Bittencourt, Patrícia Coelho Fraga Moreira, Luiz Ronaldo Alberti

CASO:

M.C.R, 87 anos, sexo feminino, coronariopata grave, apresentou episódio isquêmico extenso, sendo iniciada terapia de antiagregação plaquetária dupla (AAS e Clopidogrel) e programada angioplastia. Porém paciente evoluiu com quadro de melena importante, havendo repercussão hemodinâmica e hematimétrica com necessidade de hemotransfusão e suporte intensivo. Paciente foi submetida a endoscopia digestiva alta, na qual foi visualizada torção do estômago em porção média do corpo, dificultando transposição para o antro. Após algumas manobras com o aparelho, houve retorno do órgão para a posição habitual, identificando em curvatura maior do corpo grande lesão subepitelial, medindo aproximadamente 5 cm de diâmetro. À retrovisão observaram-se no fundo gástrico algumas lesões vasculares com sangramento ativo. Realizada terapia hemostática endoscópica combinada com injeção de adrenalina e aplicação de clips metálicos. Devido ao alto risco cardiovascular da paciente, contraindicou-se ressecção cirúrgica da lesão gástrica, sendo optada realização de gastropexia endoscópicapara tratamento do volvo a fim de evitar novos sangramentos .À endoscopia para o procedimento, observou-se novamente a torção gástrica, além de áreas de fibrose no fundo gástrico, sem sangramento ativo. Após desfeito o volvo, foram confecciomadas duas gastrostomias pelo método de punção, sendo uma sonda posicionada na porção média e outra na porção distal da parede anterior do corpo gástrico. Procedimento e pós-operatório transcorreram sem complicações.

Clique aqui para fazer download do caso.