lesões sincrônicas do cólon
Artigo por Dra. Laura Miranda Kilimnik em 05/12/2016

Residente: Dra. Laura Miranda Kilimnik

Hospital:Felício Rocho

Preceptores: Dr. Edivaldo Fraga Moreira;  Dr.Paulo F.S. Bittencourt;  Dra. Patrícia Coelho Fraga Moreira;  Dr.Luiz Ronaldo Alberti,  Dra.Ana Paula Bernardes

CASO:

M.C.T., 71 anos, com hipotireoidismo, encaminhada para realização de colonoscopia para rastreamento de câncer coloretal. Colonoscopia realizada até retosigmoide devido a preparo inadequado. No entanto foi identificada no reto, a 5cm da margem anal, uma lesão polipoide, medindo aproximadamente 15mm de diâmetro, com sinais endoscópicos de neoplasia associada, sendo realizadas biópsias. Diagnóstico anatomopatológico de neoplasia tubular da mucosa retal, com displasia de alto grau coexistindo alterações suspeitas de adenocarcinoma. Paciente submetida a nova colonoscopia para exame completo do intestino grosso e ressecção da lesão retal. Exame até o ceco e íleo terminal com preparo adequado. Além da lesão polipoide do reto, foi identificada outra lesão no sigmoide, sendo a mesma uma lesão plana, com aproximadamente 12mm de diâmetro, com área central deprimida e amorfismo à cromoscopia digital. Realizada mucosectomia de ambas as lesões. Análise histopatológica com achado de adenocarcinoma superficial, sendo a lesão plana do sigmoide com margens livres e a lesão polipoide do reto com invasão de submucosa menor que 1000micra. Consideraram-se como curativas as ressecções endoscópicas. Paciente em acompanhamento ambulatorial para programação de vigilância.

Clique aqui para fazer download do caso.
Av. João Pinheiro, 161 - Centro - CEP: 30.130-180 / Belo Horizonte / Tel: (31) 3247-1600